Buscar

Sua criança não é mais criança!

De 0 a 6 anos de idade o ser humano está em preparação para a vida, absorvendo o mundo em que vive, inicialmente de forma inconsciente e depois consciente, é mais fácil lidar com esse pequeno ser, pq ele está totalmente a mercê dos pais, pegamos no colo, impondo nossas vontades e pacificamente a criança obedece. Os brinquedos ficam ali e são suficiente para entreter essa pessoa, os materiais de casa são novidades, potes, pratos, escovas de cabelo,caixas vazias, bonecos, tudo distrai, a criança é pequena, a casa é um universo enorme pra ela, tudo é mega!


Dos 6 aos 12 começa outra grande fase, a consolidação de tudo.que viu e ouviu dos 0 aos 3 anos.

Já não é tão fácil convencer, a criança já percebe que pode se impor mais, começam a mostrar suas vontades, domínios, inteligência emocional, oposições, já são maiores e o ambiente que antes era grande e cheio de novidades que distraiam com facilidade agora se torna pequeno e sem graça.

A criança começa a viver um mundo paralelo onde o celular e as fantasias que ali se encontram passam a ser o novo universo, grande e cheio de novidades, boas e ruins, mas a criança fisicamente continua no mesmo ambiente de casa, os pais esqueceram de atualizar esse ambiente, na correria e rotina do dia a dia, a pessoa com T21 aparenta estar infantil, ainda brinca com seus antigos brinquedos, não tem muitos amigos e começa a ficar desatualizada perante as crianças da sua idade, o contato mais marcante que essas crianças passam a ter é o de filmes, desenhos, Youtubers, novelas, games, que lhe mostram um mundo enorme, maravilhoso que elas querem conhecer mas que somente conhecem pelo celular e pela TV ou tablets.

Ficam viciados.

Começam a imitar tudo q assistem, vivem aquela realidade virtual, de manhã, a tarde e a noite, só param para poucas atividades que lhe são impostas que geralmente são chatas para eles que não entendem a função de tudo aquilo, estudos, terapias e médicos, obrigações, que nem de longe são tão legais quanto tudo que assistem em seus pequenos universos paralelos virtuais.

Sim, nesse universo eles têm amigos, ninguém lhes impõe nada, eles vivem aquilo que assistem, seus cérebros acreditam que tudo aquilo é real, ninguém fala de Síndrome de Down, aponta defeitos ou obrigações, ali eles são iguais aos personagens e podem ser quem eles quiserem, leões que falam, tigres que correm livres nas floresta, pequenas formigas que trabalham e falam, ou não falam, eles pensam, eu posso rugir, não preciso falar, eles podem até serem adolescentes rebeldes igualzinho nas novelas, podem brigar com os pais, quebrar tudo e no dia seguinte está tudo ok.


Dos 12 aos 15 anos, a rotina está estabelecida, nada mudou em casa, o adulto em sua rotina, o ambiente continua o mesmo, tudo já ficou pequeno, mas o corpo deles já não é mais o mesmo, a casa tá pequena, o quarto não é mais legal e com novidades, as obrigações continuam, as mesmas chatas atividades, o celular passa a ser a vida deles, quando não tem celular ou tabletes, temos TB ou brinquedos antigos que são os que já sabem brincar a anos, nada mudou, o universo verdadeiro deles é essas e tirar isso deles é um transtorno geral, pois eles vivem aquela realidade e já estabeleceram essa rotina, já virou hábito e estão todos confortáveis !

Mas agora estão com os hormônios a flor da pele, já estão dominados pela irritabilidade que é natural da idade mas está ainda mais ativa e maior devido ao excesso de consumo dos eletrônicos, falta de amadurecimento e desenvolvimento peculiar da própria Síndrome de Down, começa a se apresentar com força todo potencial do adolescente para brigar, se opor.

Sem amigos reais, sem grandes novidades na vida, começam a sentir depressão, angústia mas não entendem e não expressam isso em palavras, pioram os comportamentos.


Os pais enxergam os problemas mas não sabem o caminho que os levou a esse patamar.

Foram longos anos traçando essa realidade de hoje, desde pequenos foram levados para essa realidade, e agora está precisando de ajuda.


Quem precisa de ajuda na verdade?


A família toda, não somente a pessoa com T21.


E a preparação para a autonomia, trabalho vida social, amigos, namoro? Quando isso começa?


Sim eles querem!


Foram preparados para isso?

O que será daqui pra frente? E agora?


Texto: Simone Galvão de França

MontessoriT21


12 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo